terça-feira, 11 de outubro de 2011

K-hanódgaluth

K-hanódgaluth

K-hanódgaluth 1
Introdução

1-2Este livro revela acontecimentos que se hão-de dar num futuro próximo, dizendo respeito a
YAOHÚSHUA hol-MEHUSHKHÁY, e que YÁOHUH UL revelou por intermédio de YÁOHU-khánam, seu
servo, a quem foi enviado um anjo para lhe explicar o significado dessas coisas. E YÁOHU-khánam dá aqui
testemunho das palavras de YÁOHUH UL, do que foi revelado por YAOHÚSHUA hol-MEHUSHKHÁY, e do
que viu e ouviu. 3Bem-aventurados aqueles que lerem o conteúdo desta profecia, e também os que ouvirem
e aceitarem tudo o que nela está escrito, porque está próximo o tempo.

Saudações

4 YÁOHU-khánam, às sete Oholyáos (Congregações) da província da Ásia: Que vos sejam concedidas a
 favor imerecido e a paz daquele que é, que era e que há-de vir outra vez, e também dos sete espíritos, que se acham diante do seu trono, 5assim como da parte de YAOHÚSHUA hol-MEHUSHKHÁY, que nos revela fielmente a verdade, que foi o primeiro a ressuscitar e que tem poder sobre os governantes desta terra. A esse que nos ama e nos lavou dos nossos pecados pelo seu 'DAM' (sangue), 6nos reuniu no seu reino, e nos fez
cohaním (intermediários) de YÁOHUH UL, seu YÁOHU ABí, seja dada toda a honra e reconhecido o seu
poder para sempre. Que assim seja! 7Eis que ele vem rodeado de nuvens, e toda a gente o verá, até aqueles mesmos que o trespassaram. E as nações se lamentarão por causa dele. Sim, isso é que há-de acontecer! 8"Eu sou o Álef e o Tav -ao princípio e o fim de todas as coisas", diz YÁOHUH UL o Criador Eterno, que tem todo o poder, e que é, que era, e que virá outra vez!

A visão do ha-BOR do Homem

9Eu, YÁOHU-khánam, sou vosso irmão e, em YAOHÚSHUA, companheiro nos sofrimentos, na paciência e
no reino. Estava eu exilado na ilha de Patmos, por ter pregado a palavra de YÁOHUH UL e falado sobre
YAOHÚSHUA hol-MEHUSHKHÁY,) 10quando, no dia de YÁOHUH UL, fui tomado pelo RÚKHA (Espírito) e
ouvi uma voz muito forte por detrás de mim, com um timbre semelhante ao de uma trombeta e 11que dizia:
"Põe por escrito aquilo que vires e envia-o às sete Oholyáos que estão na província da Ásia: Éfeso,
Esmirna, Pérgamo, Tiatira, Sardo, Filadélfia e Laodiceia". 12Na altura em que me virei para saber quem é
que estava a falar comigo, vi sete castiçais de ouro, 13e no meio deles estava ha-BOR do Homem ; trazia
um manto que lhe chegava aos pés e uma faixa de ouro em volta do peito 14Os seus cabelos eram brancos
como a lã, ou a neve, e os olhos brilhavam como chamas ardentes. 15Os pés reluziam como bronze polido
e a sua voz tinha a majestade das grandes vagas. 16Segurava na mão direita sete 'cocavím' (est-elas) e na
boca uma afiada espada de dois fios; o esplendor do seu rosto era como o do sol na sua maior força.
17Quando o vi caí a seus pés como morto; mas ele pôs sobre mim a mão direita e disse-me: "Não tenhas
medo! Sou eu, o primeiro e o último. 18Sou aquele que está vivo; que foi morto mas agora vive
eternamente. Eu tenho autoridade sobre a morte e o sheol(sepultura).- 19Escreve o que tens visto, e que diz respeito tanto ao tempo presente como ao futuro. 20Este é o significado das sete 'cocavím' (est-elas) que viste na minha mão direita, assim como dos sete castiçais de ouro: as sete 'cocavím' (est-elas) são os mensageiro das
sete Oholyáos, e os sete castiçais são as próprias Oholyáos (Congregações)."

K-hanódgaluth 2
A mensagem para a Oholyáo (Congregação) em Éfeso

1"Escreve ao mensageiros da Oholyáo (Congregação) em Éfeso: Esta é a mensagem que envia aquele que anda
entre os sete castiçais de ouro, sustentando as sete 'cocavím' (est-elas) com a mão direita:6 2Eu conheço
as coisas que tens feito. Observei o teu trabalho e a tua perseverança; sei que não podes tolerar os maus e
que soubeste pôr à prova os que se dizem emisários e não o são, verificando que são mentirosos. 3Tens
perseverança, e tens sofrido por minha causa sem te cansares. 4Há contudo uma coisa que tenho contra ti:
o teu amor já não é o mesmo como no princípio. 5Lembra-te pois desses primeiros tempos, arrepende-te, e
trabalha como fazias antes; caso contrário brevemente virei e tirarei o teu castiçal do seu lugar se não te
arrependeres. 6Há porém isto de bom a teu respeito: é que detestas as obras dos nicolaítas, tal como eu
também. 7Quem pode ouvir ouça o que o RÚKHA diz às Oholyáos. Ao que vencer, darei a comer do fruto
da ávore da vida que está no paraíso de YÁOHUH UL."

A mensagem para a Oholyáo em Esmirna

8"Ao mensageiro da Oholyáo em Esmirna escreve: Isto é o que diz aquele que é o primeiro e o último, que foi
morto e voltou à vida. 9Eu sei tudo o que tens sofrido, sei a tua pobreza -e contudo és rico! Estou ao
corrente das calúnias dos que se dizem YAOHÚ-dim, mas não o são; são antes uma congregação de hasatán.
10Não receies aquilo que virás a sofrer. Ha-satán vai lançar alguns de vocês na prisão, para vos pôr
à prova ão-de ser perseguidos durante dez dias. Sê fiel até à morte e eu te darei a coroa da vida. 11Quem
pode ouvir, que ouça o que o RÚKHA está a dizer às Oholyáos. O que vencer não terá que sofrer a
segunda morte."

A mensagem para a Oholyáo em Pérgamo

12-13"Escreve esta carta ao anjo da Oholyáo que está em Pérgamo: Esta é a mensagem que dirige aquele
que tem a espada aguda de dois fios. Eu sei onde vives, que é onde está o trono de ha-satán. E apesar
disso permaneces-me fiel e recusaste negar-me quando Antipas, minha testemunha fiel, foi martirizado no
vosso meio, onde ha-satán domina. 14Contudo, tenho umas quantas coisas contra ti. Toleras no teu meio
uma gente que faz como Balaam quando ensinou Balaque a seduzir o povo de Yaoshorúl, convidando-o a
participar nas celebrações aos ídolos e a entregarem-se à imoralidade sexual. 15Tu também tens
seguidores do ensino dos nicolaítas. 16Arrepende-te; caso contrário em breve virei e lutarei contra eles com
a espada da minha boca. 17Que quem pode ouvir ouça o que o RÚKHA diz às Oholyáos. O que vencer
comerá do maná escondido; e a cada um darei uma pedra branca em que estará gravado um nome novo
que ninguém mais conhece a não ser aquele que o recebe."

A mensagem para a Oholyáo em Tiatira

18"Ao anjo da Oholyáo em Tiatira: Isto diz ha-BOR de YÁOHUH UL cujos olhos são como labaredas de fogo,
cujos pés são como bronze resplandecente: 19Conheço as tuas obras, o teu amor, o teu serviço, a tua fé e
a tua paciência nas provações. Vejo que tem havido progresso em todas estas coisas. 20Mas tenho isto
contra ti: Permites que essa mulher Yezebel, que se considera ela própria profetiza, engane os meus servos
ensinando-os a prostituírem-se e a comerem dos sacrifícios feitos aos ídolos. 21Dei-lhe tempo para se
arrepender, mas recusou. Não quer converter-se da sua imoralidade.7 22Eu a porei sobre uma cama de
sofrimento, juntamente com todos os que adulteram com ela; a menos que se arrependam; 23e ferirei de
morte os seus filhos. E todas as Oholyáos saberão que eu conheço a mente e o coração dos homens. Darei
a cada um aquilo que merece segundo as suas obras. 24Quanto aos restantes membros da Oholyáo em
Tiatira, que não seguiram estes falsos ensinos (que não são mais do que profundezas de ha-satán), nada
mais vos pedirei além do que já pedi. 25Mas, aquilo que já têm, retenham-no até que eu venha. 26E ao que
vencer, que fizer até ao fim o que me agrada, dar-lhe-ei autoridade sobre as nações, 27para governá-las
com uma vara de ferro, segundo a autoridade que também recebi de meu YÁOHU ABí, e poderá destruí-las
como se quebra um vaso de barro. 28E lhe darei a 'cocáv' (est-ela) da manhã! 29Os que podem ouvir que
ouçam o que o RÚKHA diz às Oholyáos."

K-hanódgaluth 3
A mensagem para a Oholyáo em Sardo

1"Ao anjo da Oholyáo em Sardo escreve: Esta mensagem te é enviada por aquele que tem os sete espíritos
de YÁOHUH UL e as sete 'cocavím' (est-elas). Eu sei as tuas obras e a tua reputação de que és activo, mas o
facto é que estás morto. 2Portanto desperta! Reanima os que restam, e que estão a ponto de morrer.
Porque as tuas obras não satisfazem a exigência do meu YÁOHUH UL 3Lembra-te daquilo que ouviste e
aceitaste no princípio. Guarda isso e arrepende-te. Porque se não estiveres atento, aparecer-te-ei
subitamente, como um assaltante. Tu não sabes a que hora virei. 4Mas aí mesmo em Sardo tens alguns
que não mancharam as suas roupas; esses andarão comigo vestidos de branco, pois são dignos disso. 5O
que vencer será vestido de branco, e nunca mais apagarei o seu nome do livro da vida; pelo contrário, hei-
de reconhecê-lo como meu diante de meu YÁOHU ABí e dos seus anjos. 6Todo aquele que puder ouvir que
ouça o que o RÚKHA diz às Oholyáos."

A mensagem para a Oholyáo em Filadélfia

7"Escreve ao anjo da Oholyáo em Filadélfia: Manda-te esta mensagem aquele que é santo e que é
verdadeiro, e que tem a chave de Dáoud, para abrir sem que mais ninguém venha a fechar e fechar sem
que mais ninguém possa vir a abrir. 8Conheço toda a tua actividade. Abri diante de ti uma porta que
ninguém poderá fechar. É verdade que tens pouca força, mas obedeceste à minha palavra e não negaste o
meu Shúam (Nome). 9Obrigarei todos os que sustentam a causa de ha-satán, que se consideram YAOHÚdim
e não o são -são mentirosos -a baixarem-se a teus pés e a reconhecerem que é a ti que eu amo.
10Visto que obedeceste à minha palavra para perseverar pacientemente, também te livrarei da hora da
tribulação que há-de vir sobre todo o mundo para pôr à prova os que habitam na terra. 11Em breve virei.
Conserva firmemente o que tens, para que ninguém te roube o prémio da vitória 12Ao que vencer, farei dele
uma coluna do Templo do meu YÁOHUH UL; e nunca mais de lá sairá. Nele escreverei o Shúam (Nome) do
meu YÁOHUH UL e da sua cidade, a nova Yaohúshua-oléym que desce do céu, vinda de YÁOHUH UL, e da
qual será cidadão; e também terá nele gravado o meu novo Shúam (Nome). 13Quem puder ouvir, que ouça
 o que o RÚKHA diz às Oholyáos."

A mensagem para a Oholyáo em Laodiceia

14"Ao anjo da Oholyáo em Laodiceia escreve: Isto é o que te diz aquele que cumpre firmemente tudo o que
diz, a testemunha fiel da verdade, o que governa a criação de YÁOHUH UL:B 15Conheço tudo o que fazes,
sei que nem és frio nem quente; antes fosses uma coisa ou outra 16Mas visto que és apenas morno -nem
quente nem frio -hei-de vomitar-te da minha boca! 17Dizes: 'Sou rico, tenho tudo o que é preciso, não me
falta nada!' E não te dás conta que és um infeliz, um miserável, pobre, cego e nu 18Aconselho-te que
compres de mim ouro puro, ouro purificado pelo fogo -só assim serás realmente rico; e que obtenhas de
mim vestes brancas, para que não fiques nu e envergonhado; e que adquiras o meu remédio para te curar
os olhos e para que possas ver com clareza. 19 Eu corrijo e castigo todos quantos amo. Arrepende-te, e
abandona pois a tua indiferença e torna-te zeloso. 20Eis que estou à porta e bato; se alguém ouvir a minha
voz e abrir a porta, entrarei e tomaremos juntos uma refeição, em íntima companhia. 21Concederei que todo
aquele que vencer se sente ao meu lado no meu trono, tal como eu me sentei com meu YÁOHU ABí no seu
trono quando me tornei vencedor. 22Quem pode ouvir, que ouça o que o RÚKHA (Espírito) está a dizer às
Oholyáos."

K-hanódgaluth 4
O trono

1Depois disto olhei e vi uma porta aberta no céu, e a mesma voz que tinha ouvido antes, semelhante ao
toque de uma trombeta, falou comigo e disse: "Sobe aqui e eu te mostrarei o que há-de acontecer no
futuro." 2E logo me encontrei em espírito no céu e ali, diante dos meus olhos, deparei com um trono e
alguém sentado sobre ele. 3E jorravam cintilações daquele que estava sentado no trono, como de um
diamante ou de um rubi, e um arco-íris fulgurante como uma esmeralda envolvia esse trono. 4E outros vinte
e quatro tronos estavam à volta do primeiro, e vinte e quatro anciãos se sentavam neles, todos vestidos de
branco com coroas de ouro nas suas cabeças 5E saíam relâmpagos e trovões do trono; misturados com
eles ouviam-se vozes. Diante do trono estavam sete fachos acesos, que são os sete espíritos de YÁOHU
UL. 6Na parte da frente do trono estendia-se um mar cuja superfície brilhava como cristal iante e à volta do
trono havia quatro seres viventes, cheios de olhos à frente e atrás. 7O primeiro desses seres tinha a forma
de um leão; o segundo parecia um bezerro; o terceiro tinha o rosto de um homem; e o quarto a forma de
uma águia, com as asas abertas como se estivesse a voar 8Cada um destes seres viventes tinha seis asas,
e estavam totalmente cobertos de olhos, mesmo debaixo das asas. E de dia e de noite, sem descanso,
diziam:

"Hodshúa, hodshúa, hodshúa (Santo, santo, santo) é YÁOHUH UL o Criador Eterno, que tem todo o poder,
e que era, que é, e que há-de vir". 9E quando os seres viventes davam glória e honra e hessed àquele que
está sentado no trono e que vive para todo o sempre, 10os vinte e quatro anciãos lançaram-se aos seus pés
e o adoraram, esse cuja vida não tem limite de tempo, e lançaram as suas coroas diante do trono dizendo:
11"Tu, nosso YÁOHUH UL e nosso Molkhiúl, "és digno de receber glória, honra e poder"porque criaste
todas as coisas. É por tua vontade que elas existem."

K-hanódgaluth h 5
O livro e o Cordeiro

1E vi um livro na mão direita daquele que estava sentado no trono, livro esse escrito por dentro e por fora,
mas fechado com sete selos. 2E um anjo, poderoso, bradou em alta voz: "Quem é digno de quebrar os
selos deste livro e abri-lo?"e 3Mas ninguém houve, nem no céu, nem na terra, nem debaixo da terra, que
tivesse o direito de abrir o livro e de ver o que estava lá escrito. 4Chorei então abundantemente pelo facto
de em parte alguma se achar alguém digno de o abrir e o ler. 5Mas um dos vinte e quatro anciãos disse-me:
"Não chores mais; aqui está o Leão da tribo de YAOHÚ-dah, o verdadeiro descendente do trono de Dáoud,
que venceu e mostrou ser digno de deslacrar os sete selos e de abrir o livro". 6Olhei e vi um Cordeiro de pé
no meio do trono com os quatro seres viventes e os vinte e quatro anciãos à volta, e trazia sinais de haver
sido morto. Tinha sete chifres e sete olhos, que são os sete espíritos de YÁOHUH UL enviados por toda a
terra.= 7Então avançou e tomou o livro da mão direita do que estava sentado no trono. 8E depois de ter
ficado com o livro, os quatro seres viventes e os vinte e quatro anciãos inclinaram-se até à terra, na frente
do Cordeiro, tendo cada um uma harpa e taças de ouro cheias de incenso, que são as orações do povo de
YÁOHUH UL. 9-10 E cantavam um cântico, que antes ainda não fora cantado, que tinha as seguintes
palavras: "Só tu és digno de tomar o livro,"de quebrar os selos e de o abrir; porque foste morto e com teu 'DAM'
(sangue) compraste para YÁOHUH UL"gente de todas as nações, raças e línguas. E os reuniste num reino,
fizeste deles cohaním (intermediários) do nosso YÁOHUH UL"e um dia governarão na terra." 11Depois, olhei
de novo e ouvi o canto de uma multidão de milhões e milhões de anjos que rodeavam o trono, os seres
viventes e os anciãos, 12e cantavam com muita força: "O Cordeiro, que foi imolado,"é o único que é digno de receber o poder, a riqueza, a força, a sabedoria, "a honra, a glória, e o louvor". 13Então ouvi toda a criatura que existe no céu, na terra, debaixo da terra e no mar exclamarem: "O louvor, a honra, a glória e o poder pertencem àquele que está sentado no trono e ao Cordeiro para sempre e sempre". 14E os quatro seres viventes respondiam: "Que assim seja." Os vinte e quatro anciãos inclinaram-se e adoraram.

K-hanódgaluth 6
O Cordeiro quebra os selos

1Vi então o Cordeiro quebrar o primeiro dos sete selos. E um dos quatro seres viventes gritou com uma voz
de trovão: "Vem!" 2Olhei e vi um cavalo branco; aquele que o montava tinha um arco e puseram-lhe uma
coroa e partiu vitorioso, para mais vitórias. 3Depois o Cordeiro quebrou o segundo selo e ouvi o segundo
ser vivente dizer: "Vem!" 4Desta vez surgiu um cavalo vermelho, e ao seu cavaleiro foi-lhe dada uma
espada e autoridade para tirar a paz da terra, de forma a que os homens se matassem uns aos outros. 5E
quando o Cordeiro quebrou o terceiro selo ouvi a mesma ordem dada pelo terceiro ser vivente: "Vem!" E foi
agora um cavalo preto montado por alguém que segurava uma balança na sua mão. 6Uma voz saindo do
grupo dos quatro seres viventes disse: "Um quilo de trigo, ou três quilos de cevada, pelo salário de um dia; e
há que não desperdiçar nem azeite nem vinho." 7E quando o Cordeiro quebrou o quarto selo, de novo a
ordem doi dada, desta vez pelo quarto ser vivente: "Vem!" 8E saiu um cavalo amarelo, e quem o montava
chama-se Morte, e era seguido de perto pela Sepultura. E receberam o domínio sobre a quarta parte da
terra, a fim de matar com a guerra, a fome, pestes, e por meio de animais ferozes. 9E quando o Cordeiro
quebrou o quinto selo, vi um altar debaixo do qual estavam todas as almas dos que foram martirizados por
anunciarem a palavra de YÁOHUH UL e por causa do testemunho que deram. 10E clamavam em alta voz a
YÁOHUH UL dizendo: "Ó soberaem YÁOHUH UL, santo e verdadeiro, até quando ficarão por julgar os
habitantes da terra por aquilo que nos fizeram e pelo sangue que derramámos por causa deles?"a 11E foi
dada uma túnica branca a cada um deles. E foi-lhes dito que tivessem paciência ainda durante mais um
pouco de tempo até que se completasse o número dos seus irmãos e companheiros no serviço de YÁOHU
UL, que deviam sofrer também o martírio na terra. 12E na altura de quebrar o sexto selo houve um grande
terramoto, o sol ficou tão escuro como um pano preto e a lua tornou-se da cor do sangue 13As 'cocavím'
(est-elas) do céu caíram sobre a terra -eram como uma figueira, batida por um forte vento, que deixasse
cair os seus figos ainda verdes 14E o céu desapareceu à maneira de um rolo que se enrola, e as
montanhas e as ilhas deslocaram-se. 15Então os chefes das nações, os grandes políticos, os grandes
chefes militares, os de grande poder económico e de intervenção, e todos, servos e livres, se escondiam
nas cavernas e nas rochas das montanhas. 16E gritavam às montanhas e aos rochedos: "Caiam sobre nós!
Escondam-nos daquele que está sentado no trono e da cólera do Cordeiro 17Porque chegou o dia de ele
fazer justiça com rigor, e quem é que poderá resistir e ficar vivo na sua frente?"

K-hanódgaluth 7
O povo de YÁOHUH UL

1Depois vi quatro anjos que estavam nos quatro cantos da terra, impedindo os quatro ventos de soprarem,
de modo que a superfície das águas dos mares estava lisa e nem uma folha se movia nas árvores. 2E vi
surgir do oriente um anjo que trazia o selo de YÁOHUH UL vivo. E gritou para os quatro anjos que tinham
recebido poder para fazer grandes danos na terra e no mar: 3"Esperem. Não façam ainda nenhum mal, nem
à terra, nem ao mar, nem a nenhuma árvore. É preciso que tenhamos antes marcado nas testas aqueles
que são os servos de YÁOHUH UL." 4-8E disseram-me o número dos que foram assinalados dessa maneira:
foram 144.000, das doze tribos do povo de Yaoshorúl; 12.000 por cada uma das tribos: YAOHÚ-dah, Roibén,
Gaóld, Oshór, Neftali, Menashé, Shamiúl, Leví, Ishochar, Zabulón, YÁOHU-saf e Benyamín.

A multidão de vestes brancas

9Vi a seguir uma enorme multidão, impossível de contar, de todas as nações, tribos, povos e línguas, diante
do trono e do Cordeiro, com vestimentas brancas, e folhas de palmeira nas mãos. 10E gritavam em altas
vozes: "A salvação vem do nosso YÁOHUH UL, que está no trono, e do Cordeiro." 11E todos os anjos nessa
altura se encontravam em volta do trono, em volta dos anciãos e dos quatro seres viventes, e inclinando-se
até à terra adoraram YÁOHUH UL 12E diziam: "Que assim seja! Louvor e glória e sabedoria e louvor e honra e poder e força pertencem ao nosso YÁOHUH UL por toda a eternidade. Amnáo!" 13Nessa altura um dos vinte e quatro anciãos perguntou-me: "Sabes quem são estes, que estão vestidos de branco, e donde vêm?" 14"Não", respondi. "Peço-te que mo
digas, pois és tu quem deve sabê-lo." E ele disse-me: "Estes são os que vêm da grande tribulação, e que
lavaram as suas roupas e as tornaram brancas no 'DAM' (sangue) do Cordeiro. 15É por isso que aqui estão
diante do trono de YÁOHUH UL, servindo noite e dia no seu Templo. Aquele que está sentado no trono os
acolherá 16e nunca mais terão nem fome, nem sede, e nunca mais sofrerão os ardores do sol escaldante.
17Porque o Cordeiro que está diante do trono será o seu apacentador, que os conduzirá às fontes de água
da vida. E YÁOHUH UL limpará as lágrimas dos seus olhos."
  
K-hanódgaluth 8
O Cordeiro quebra o último selo

1-2Quando o Cordeiro quebrou o sétimo selo fez-se silêncio no céu por um período aproximadamente de
meia hora. E vi que aos sete anjos que se mantêm continuamente diante de YÁOHUH UL foram dadas sete
trombetas. 3Então veio um outro anjo com um incensário de ouro e que se pôs junto do altar, e deram-lhe
uma grande quantidade de incenso para que o misturasse com as orações do povo de YÁOHUH UL, e o
oferecer sobre o altar de ouro diante do trono 4E o fumo perfumado do incenso, misturado com as orações
dos santos, subiu desde o altar onde o anjo o tinha derramado até à presença de YÁOHUH UL. 5Então o anjo
encheu o incensário com fogo do altar e lançou-o sobre a terra; e ouviu-se o ribombar de trovões no meio
de grandes clamores e de relâmpagos que faiscavam, tudo isso acompanhado de terramotos.

Os anjos com trombetas

6E os sete anjos prepararam-se para tocar as suas trombetas. 7Quando o primeiro anjo tocou a sua
trombeta foram lançados sobre a terra fogo e chuva de pedra misturada com sangue. E ardeu uma terça
parte da terra; um terço das árvores e de toda a vegetação em geral foi assim consumida pelo fogo. 8-9Chegou a vez do segundo anjo tocar, e algo como uma enorme montanha em fogo foi lançado no mar
destruindo uma terça parte de todos os navios que circulavam nas águas; um terço das águas do mar
ficaram como que em sangue, morrendo também um terço de tudo o que nelas havia com vida. 10Depois
do terceiro anjo tocar, uma grande 'cocáv' (estrela), ardendo em chamas, caiu do céu sobre um terço dos
rios e das fontes 11Essa 'cocáv' (estrela) foi chamada Amargura, porque fez com que um terço das águas
da terra ficassem envenenadas; e muita gente morreu. 12Logo que o quarto anjo tocou, a terça parte do sol,
da lua e das 'cocavím' (estrelas) foi atingida e tudo se escureceu de tal forma que a luz do dia perdeu um
terço da sua intensidade, e a noite ficou mais escura. 13E olhei para cima e vi uma águia voando, sozinha,
através do céu, dizendo em alta voz: "Oy! infelizes habitantes da terra! Coisas terríveis vão em breve
acontecer quando os outros três anjos tocarem as suas trombetas."

K-hanódgaluth 9

1Tocou então a sua trombeta o quinto anjo. E vi uma 'cocáv' (est-ela) que caiu do céu à terra. Foi-lhe dada a
chave do abismo insondável. 2E quando o abriu, saiu dali fumo, como se fosse de uma imensa fornalha, a
ponto de escurecer completamente o ar e o sol. 3E saíram gafanhotos do meio daquele grande fumo que
desceram sobre a terra; e deram-lhes poder para ferroar como os escorpiões. 4Foi-lhes dito que poupassem
a vegetação da terra, a erva, os arbustos, as árvores, e que atacassem somente as pessoas que não
tinham nas suas testas a marca de YÁOHUH UL.-5Não deviam matá-las, mas sim torturá-las durante cinco
meses com um sofrimento semelhante ao que provoca a picada do escorpião. 6Durante esse tempo os
homens hão-de querer morrer, procurando matar-se e não serão capazes de o fazer -a morte não lhes
vem, fugirá deles! 7Esses gafanhotos pareciam cavalos aparelhados como para a guerra; traziam na
cabeça umas como que coroas de ouro, e o seu focinho assemelhava-se ao rosto de homens." 8Tinham na
cabeça cabelos compridos, como as mulheres, e viam-se-lhes dentes como de leão. 9Traziam o peito
protegido por uma couraça de ferro, e quando batiam as asas faziam barulho como um batalhão de carros
de combate avançando para a luta. 10Tinham caudas armadas de um ferrão, tal como os escorpiões, e era
com isso que podiam ferir as pessoas, durante cinco meses, como lhes tinham ordenado. 11O seu
comandante é o anjo do abismo profundo, cujo nome em Hebraico é Abbadon, e em Grego é Apolion.
12Assim terminou a primeira catastrofe, mas há ainda mais duas para vir! 13O sexto anjo tocou a sua
trombeta e ouvi uma voz falando a partir dos quatro cantos do altar de ouro diante de YÁOHUH UL, ea
14dirigia-se ao sexto anjo dizendo: "Solta os quatro anjos que estão amarrados junto do grande rio
Eufrates". 15Eles tinham sido mantidos prontos para aquele momento exacto -precisamente para aquele
ano e mês e dia e hora. Foram então soltos para que matassem uma terça parte da humanidade 16E
dirigiam um exército de 200 milhões de militares, segundo o número que eu ouvi anunciar. 17Os cavalos
desse exército eram montados por cavaleiros com couraças cor de fogo umas, e outras azuis e amarelas.
As cabeças dos cavalos assemelhavam-se às de leões, e saía fogo, enxofre incandescente e fumo das
suas bocas; 18assim mataram uma terça parte de toda a humanidade 19O poder que tinham para matar
estava nas suas bocas e também nas caudas, porque estas eram semelhantes a cabeças de serpentes,
que podiam ferir mortalmente. 20E os outros seres humanos que não foram mortos por essas pragas,
mesmo assim não se arrependeram das suas obras más! Não quiseram abandonar o seu culto aos
demónios, nem deixar os ídolos de ouro, prata, bronze, pedra e madeira, e que não podem ver, nem ouvir,
nem andar! 21Não quiseram pois arrepender-se dos seus assassínios, das suas bruxarias, dos seus actos
de imoralidade e dos seus roubos.
  
K-hanódgaluth 10
O anjo e o pequeno livro

1Vi a seguir outro anjo, poderoso, descendo do céu, envolvido numa nuvem e com um arco-íris em volta da
cabeça; o seu rosto brilhava como o sol e as suas pernas eram como pilares de fogo. 2Segurava na mão
um pequeno livro, aberto. Pôs o pé direito no mar e o esquerdo na terra, 3e deu um grande brado - foi como
o rugido dum leão -ao que responderam sete trovões por entre o barulho do seu próprio ribombar. 4Eu ia a
escrever o que os trovões disseram quando uma voz no céu me falou: "Não escrevas isso. As suas palavras
não devem ainda ser reveladas." 5Então o anjo que tinha aquele aspecto poderoso e estava com um pé
sobre o mar e outro sobre a terra levantou a mão direita para o céu, 6e jurou por aquele que vive para
sempre, eternamente, e que criou o céu e tudo o que nele existe, assim como a terra e o mar, com tudo o
que neles existe; jurou que não haveria mais demora, 7mas que, quando o sétimo anjo tocasse a sua
trombeta, YÁOHUH UL daria cumprimento ao seu plano, cujo conteúdo foi até agora mantido em segredo, e
de acordo com aquilo que ele anunciou aos profetas que estavam ao seu serviço. 8De novo a voz do céu
me falou: "Vai e toma o livrinho da mão do anjo poderoso que se encontra sobre o mar e sobre a terra".
9Aproximei-me e pedi-lhe que me desse o pequeno livro. "Sim, toma e come-o", disse-me. "De princípio vai-
te saber a mel, mas depois de o engolires há-de fazer-te mal ao estômago!"a 10Tomei pois o livrinho da sua
mão, comi-o e, tal como me dissera, na boca tinha um gosto doce como o mel, mas amargou-me no
estômago. 11Então disse-me: "É necessário que continues a falar em Shúam (Nome) de YÁOHUH UL, e a
anunciar a sua palavra, ainda, a muitos povos e nações de muitas línguas, e até aos seus governantes".

K-hanódgaluth 11
As duas testemunhas
  
1Recebi, depois disto, uma espécie de vara, que servia para medir, e o anjo disse-me que medisse o
Templo de YÁOHUH UL, incluindo o altar, e que contasse também quantos é que nele adoram 2"Mas não
meças o pátio exterior", foi-me dito, "porque foi entregue às nações, que pisarão o chão da cidade santa
durante quarenta e dois meses. 3E darei poder às minhas duas testemunhas, que se vestirão com panos de
saco, para proferizarem durante 1.260 dias. 4Estas duas testemunhas são as duas oliveiras e os dois
castiçais que se encontram na presença de YÁOHUH UL de toda a terra. 5Se alguém lhes quiser fazer mal,
será morto por fogo que sairá das suas bocas. 6Têm poder mesmo para impedir que chova durante os três
anos e meio em que falarão em meu Shúam (Nome), para transformar os cursos de água em sangue, e
para enviar sobre a terra toda a espécie de pragas, tantas vezes quantas quiserem. 7E quando terminarem
o seu testemunho, o monstro que sai do insondável abismo virá fazer-lhes guerra, e há-de vencê-los e
matá-los; 8-9e por três dias e meio os seus corpos estarão expostos nas ruas da grande cidade que
simbolicamente se chama Sodoma ou Egipto, aí mesmo onde o seu YÁOHUH UL foi impalado! Ninguém terá
licença de os levar para uma sepultura; e gente de muitas origens e línguas se concentrarão ali para os ver.
10E por toda a terra haverá uma onda de regozijo pela sua morte, e até se mandarão presentes uns aos
outros, felicitando-se entre si pelo desaparecimento dessas duas testemunhas de YÁOHUH UL que tanto os
tinham atormentado. 11-12Mas passados esses três dias e meio, o espírito de vida, da parte de YÁOHUH UL,
entrou neles e levantaram-se. E toda a gente ficou cheia de um medo enorme. E uma voz lhes gritou do
céu: 'Subam aqui!' E à vista dos seus inimigos subiram ao céu envolvidos numa nuvem. 13E logo nesse
momento houve um tremendo abalo de terra que destruiu a décima parte da cidade e deixou 7.000 mortos.
Os que ficaram vivos, cheios de temor e respeito, deram enfim louvores, adorande YÁOHUH UL do céu.
14Esta é a segunda desgraça; mas logo a seguir virá a terceira".

A sétima trombeta

15Com efeito, assim que o sétimo anjo tocou a sua trombeta, vozes fortíssimas clamaram do céu: "O
governo do mundo passou agora a pertencer ao nosso YÁOHUH UL, e a hol-MEHUSHKHÁY, que reinará
para todo o sempre." 16E os vinte e quatro anciãos que estão sentados nos seus tronos diante de YÁOHU
UL, inclinaram-se até ao chão e adoraram-no. E disseram: 17"Agradecemos-te, YÁOHUH UL o Criador Eterno, que tens todo o poder,"que és, e que eras, porque tomaste enfim o domínio que te competia"e agora começaste a reinar.
18As nações revoltavam-se contra ti,"mas veio agora o momento da tua cólera contra eles. Chegou o
tempo de julgares os mortos"e de recompensares os que têm trabalhado ao teu serviço. Recompensarás os
teus profetas e o teu santo povo,"todos os que temem o teu Shúam (Nome), desde o menor ao maior. E tu
destruirás todos aqueles que têm causado devastação na terra." 19E no céu apareceu o Templo de YÁOHU
UL aberto de par em par, e podia ver-se no interior a arca da sua aliança. E houve relâmpagos e trovões
acompanhados de grandes brados; houve chuva de pedra e um violento terramoto.

K-hanódgaluth 12
A mulher e o dragão
  
1Então apareceu no céu algo extremamente espantoso: era uma mulher vestida com o sol, com os pés
poisados sobre a lua e com uma coroa formada por doze 'cocavím' (est-elas) na cabeça. 2Estava grávida, e
já com as dores de parto, e gritava na ânsia de dar à luz. 3E apareceu uma outra visão em que um dragão
vermelho se apresentava com sete cabeças e dez chifres; e em cada cabeça tinha uma coroa. 4Com a
cauda arrastou para trás de si um terço das 'cocavím' (est-elas) do céu, lançando-as sobre a terra. E
colocou-se na frente da mulher que ia dar à luz, pronto para devorar a criança logo que nascesse. 5Ela com
efeito teve um filho, o qual mais tarde haveria de ser aquele que governaria todas as nações com uma forte
autoridade. E o menino foi logo arrebatado para YÁOHUH UL, para junto do seu trono. 6E quanto à mulher,
fugiu para o deserto, onde YÁOHUH UL lhe preparou um lugar, cuidando dela durante 1.260 dias. 7E deu-se
uma guerra no céu; Mikahaul e os anjos sob a sua responsabilidade lutaram contra o dragão e contra o seu
exército de anjos. h 8O dragão perdeu a batalha e foi expulso do céu 9Ele é a antiga serpente, conhecida
sob o nome de Diabo, ou ha-satán, aquele que engana o mundo inteiro; e foi assim lançado para a terra,
mais os seus demónios. 10 Ouvi depois uma voz clamando através do céu: "Aconteceu enfim! A salvação
final, o poder e o governo de YÁOHUH UL, assim como a autoridade de hol-MEHUSHKHÁY se manifestaram.
O acusador dos nossos irmãos foi jogado do céu à terra, esse que os acusava dia e noite. 11Mas eles o
venceram pelo 'DAM' (sangue) do Cordeiro, e com o poder do testemunho que deram a YÁOHUH UL; pois
que souberam pôr de lado o amor às suas próprias vidas a ponto de morrerem por YÁOHUH UL. 12Alegremse
pois os habitantes do céu! Contudo são bem de lamentar os que vivem no mundo, porque ha-satán
desceu para o vosso meio com grande ira, com muito ódio, e sabe que já não dispõe de muito tempo."
13Quando o dragão se viu então expulso para a terra, perseguiu a mulher que tinha dado à luz o menino.
14Mas deram à mulher duas asas semelhantes às de uma grande águia, a fim de que pudesse voar para o
deserto, onde lhe tinha sido preparado o lugar para se proteger do dragão, durante três anos e meio. 15E o
dragão lançou da sua boca um rio com um grande caudal de água, com a intenção de fazer com que ela
fosse arrastada por essa grande torrente e assim se perdesse 16mas a terra ajudou a mulher, porque abriu
fendas que absorveram as águas que o dragão tinha lançado da boca. 17Este então, furioso, desfechou um
ataque contra o resto dos filhos da mulher, os que obedecem à palavra de YÁOHUH UL e confessam e
provam que pertencem a YAOHÚSHUA hol-MEHUSHKHÁY. 18Então, ele pôs-se à beira do mar.

K-hanódgaluth 13
O monstro do mar

1E vi na minha visão um monstro levantando-se do mar. Tinha sete cabeças e dez chifres, e em cada um
destes uma coroa. Em cada cabeça estavam escritos nomes que eram insultos a YÁOHUH UL. 2Este
monstro parecia um leopardo, mas tinha as patas como os ursos e focinho de leão. E o dragão deu-lhe o
seu próprio poder, cedeu-lhe o seu trono e grande autoridade. 3E reparei que uma das cabeças do monstro
tinha uma ferida que parecia mortal; mas afinal a ferida veio a sarar! O mundo inteiro se maravilhou com
esse milagre e se pôs a seguir esse monstro. 4Todos adoraram o dragão por ter dado ao monstro o seu
poder, assim como adoraram o próprio monstro, dizendo: "Quem poderá igualar-se a ele e lutar contra ele?"
5E foi concedido ao monstro o poder de dizer grandes injúrias contra YÁOHUH UL o Criador Eterno. E pôde
assim exercer a sua influência durante quarenta e dois meses. 6Todo esse tempo sempre que abria a boca
era para dizer coisas ofensivas contra YÁOHUH UL, e para desprezar o seu (Nome) Shúam, a sua morada
celestial e todos os que vivem no céu. 7Foi-lhe igualmente dado poder para combater contra o povo de
YÁOHUH UL, e para o vencer mesmo, assim como autoridade sobre os povos, raças e línguas em toda a
terra. 8E todas as pessoas que pertencem a este mundo adoraram o monstro -essas cujos nomes não
estão escritos no livro da vida do Cordeiro, que foi sacrificado antes da fundação do mundo. 9Quem for
capaz de ouvir, que ouça atentamente: 10O povo de YÁOHUH UL destinado às prisões será levado em
cativeiro; os que são destinados à morte serão mortos. Mas não desanimem, porque é agora a vossa
oportunidade de demonstrar a vossa perseverança e fé.

O monstro da terra

11Depois vi outro monstro, este agora subindo da terra, com dois chifres, semelhantes aos de um cordeiro,
mas falava como o dragão. 12Este monstro exerce o mesmo poder que o primeiro cuja ferida mortal foi
sarada, e fez com que todos os habitantes da terra lhe prestassem culto. 13Fez igualmente milagres
inacreditáveis tais como mandar descer fogo do céu à vista de toda a gente 14Por meio destas coisas
espantosas que fez, sempre, aliás, na presença do primeiro monstro, conseguiu enganar toda a gente. E
ordenou a todos os habitantes da terra que fizessem uma estátua ao monstro que fora ferida de morte, mas
que recuperara a vida 15E foi-lhe mesmo permitido que desse vida a esta imagem e que a fizesse falar, e
que fizesse que fossem mortos todos os que não adorassem essa imagem. 16Conseguiu até
obrigar toda a gente, de toda a condição social, ricos e pobres, fosse qual fosse a condição do seu trabalho,
a ser marcado com um sinal na mão direita ou na testa, 17de forma a que ninguém pudesse fazer nada,
nem comprar nem vender, se não tivesse essa marca, que consistia ou no SEU nome  ou no número
de código do seu nome. 18Aqui é preciso muita sabedoria. Aqueles que têm capacidade que vejam se são
capazes de decifrar esse código: esse número representa o nome de um homem, e é 666.

K-hanódgaluth 14
O Cordeiro e os 144.000

1Depois vi o Cordeiro em pé sobre o Monte Tzayán em Yaohúshua-oléym e com ele estavam 144.000 que
tinham escrito nas suas testas o nome dele e de seu YÁOHU ABí. 2E ouvi um som vindo do céu como o
ruído duma grande catarata ou como o estrondo de um enorme trovão. Era como se fosse o som de muitas
harpas tocando ao mesmo tempo. 3Este grande coro cantava um novo cântico maravilhoso que ninguém podia aprender exceto aqueles 144.000 que tinham sido resgatados da terra.. 4Estes são espiritualmente limpos, puros como virgens, e seguem o Cordeiro para onde quer que ele vá. Foram comprados de entre o povo na terra como uma oferta especial para YÁOHUH UL e para o Cordeiro. 5Não podiam ser acusados de mentira; são irrepreensíveis.

Os três anjos

6E vi outro anjo voando pelos shua-ólmayao, levando a Mensagem Gloriosa eternas, pregando a todos os
que estão na terra, de toda a nação, tribo, língua e povo. 7"Temam YÁOHUH UL", dizia ele numa voz muito
forte. "Louvem a sua grandeza. Porque chegou a altura de ele fazer justiça. Adorem pois aquele que criou o
céu, a terra, o mar, e todas as fontes." 8E um outro anjo o seguiu, através dos shua-ólmayao, dizendo:
"Caiu, caiu Babilônia, essa grande cidade, porque seduziu todos os povos da terra, e os fez beber o vinho
da sua tremenda impureza e do seu pecado." 9E veio ainda um terceiro anjo clamando: "Todo aquele que
adorar o monstro e a sua estátua, e aceitar a sua marca na testa ou na mão, 10terá de beber o vinho da ira
de YÁOHUH UL. Este lhe será dado a beber sem mistura na taça da severidade de YÁOHUH UL. E serão
atormentados com fogo e enxofre incandescente, na presença dos santos anjos e do Cordeiro. 11O fumo
desse suplício subirá para todo o sempre, pois que o tormento é eterno; nem de noite, nem de dia terão
alívio esses que adoraram o monstro, a sua estátua e que aceitaram receber o código do seu nome. 12Que
isto sirva para animar o povo de YÁOHUH UL a suportar com paciência todas as provações e perseguições;
esse povo santo são os que permanecem firmes na obediência à vontade de YÁOHUH UL, e nunca
enfraquecem na sua fé em YAOHÚSHUA." 13Ouvi então uma voz do céu que me dizia: "Escreve o
seguinte: Abençoados são aqueles que, daqui em diante, morrem fiéis a YÁOHUH UL, pois poderão receber
a plena recompensa que lhes é reservada. Sim, diz o RÚKHA-YÁOHU, eles poderão enfim descansar de
todas as fadigas e provações, porque as suas obras justas acompanham-nos!"

A colheita da terra

14Depois vi uma nuvem branca sobre a qual estava ha-BOR do Homem, com uma coroa de ouro na cabeça
e uma foice bem afiada na mão. 15Um outro anjo saiu do Templo e dirigiu-se-lhe clamando: "Começa a
usar a tua foice, porque chegou o tempo de ceifares; a colheita está madura na terra". 16Então, aquele que
estava sentado na nuvem fez passar a foice sobre a terra, e foi feita a colheita. 17E a seguir veio outro anjo
do Templo no céu que trazia também uma foice afiada. 18Nessa altura um anjo que tem a seu cargo a
utilização do fogo saiu do altar e gritou para o anjo que tinha a foice: "Usa agora a tua foice para cortar os
cachos de uvas das vinhas da terra, pois estão maduros". 19O anjo passou a foice sobre a terra e encheu
de uvas o grande lagar da ira de YÁOHUH UL. 20As uvas foram esmagadas nesse lagar, que era fora da
cidade. E o sangue que daí saiu formou uma torrente de uns 300 quilómetros de comprimento, e tão alta
que chegava até aos freios dos cavalos.

K-hanódgaluth 15
Os sete anjos com as sete pragas

1Vi a seguir uma outra cena no céu, majestosa e admirável: eram sete anjos designados para lançarem as
sete últimas pragas, depois das quais ficava satisfeita a ira de YÁOHUH UL. 2Na minha frente estendia-se
como que um mar de vidro misturado com fogo. Junto desse mar estavam todos os que saíram vitoriosos da
perseguição que o monstro lhes tinha feito, que não se inclinaram perante a sua estátua e não se deixaram
marcar pelo tal código do seu nome. Todos traziam harpas que YÁOHUH UL lhes tinha dado. 3-4E cantavam
o cântico de Mehushúa, o servo de YÁOHUH UL, assim como o cântico do Cordeiro, e diziam:
"Grandes e maravilhosos são os teus feitos," YÁOHUH UL o Criador Eterno todo-poderoso. É justa e
segundo a verdade a forma como fazes as coisas,"ó Rei das nações. Como haverá alguém que não te
tema, YÁOHUH UL,"e não glorifique o teu Shúam (Nome)? Só tu és perfeitamente santo! Todos os povos
hão-de vir inclinar-se perante ti. Os teus juízos revelaram-se justos"aos olhos de todo o mundo." 5E vi
depois que o Templo no céu, onde se encontrava o Templo de YÁOHUH UL, estava aberto. 6Vieram então
do Templo os sete anjos que tinham o cargo de lançar as sete pragas; estavam vestidos com roupagens de
linho de um branco puríssimo, que resplandecia, e traziam uns cintos de ouro. 7Um dos quatro seres
viventes deu a cada um uma taça de ouro cheia da terrível ira de YÁOHUH UL, que vive para toda a
eternidade. 8A glória e o poder de YÁOHUH UL encheram o Templo todo sob a forma de um fumo, de
maneira que ninguém podia entrar enquanto os sete anjos não tivessem lançado as sete pragas.

K-hanódgaluth 16
As sete taças da ira de YÁOHUH UL

1E ouvi uma voz poderosa vinda do Templo e bradando muito alto aos sete anjos: "Vão agora, lancem
sobre a terra as sete taças com a ira celestial". 2Assim foi que o primeiro anjo saiu e derramou sobre a terra
a sua taça; e rebentaram feridas horríveis e malignas em todos aqueles que tinham o sinal do monstro e
adoravam a sua estátua. 3O segundo anjo derramou a sua taça sobre os mares, que se tornaram como
sangue -parecia até sangue de um morto; e morreu tudo o que vive no mar. 4O terceiro anjo lançou a sua
taça sobre as fontes e os rios, que também se tornaram em sangue. 5E ouvi este anjo dizer: "Tu, YÁOHU
UL, que és e que sempre eras, tu és justo e santo, ao enviares este castigo; 6visto que foi derramado o
sangue dos santos, teu povo, e dos profetas. É justo agora que os seus assassinos quando quiserem beber
água encontrem sangue." 7E ouvi uma voz, vinda do altar, dizendo: "Sim, YÁOHUH UL o Criador Eterno, que
tens todo o poder, o teu julgamento é feito segundo a justiça e segundo a verdade". 8Foi a vez do quarto
anjo esvaziar a sua taça, agora sobre o sol, fazendo com que este abrasasse a humanidade inteira,
queimando como fogo, 9de tal forma que todos foram abrasados e receberam queimaduras com esses
grandes calores que se abateram sobre a terra. Chegaram a amaldiçoar o Shúam (Nome) de YÁOHUH UL
por ter deixado que essas pragas fossem enviadas à terra. Contudo, nem por isso se arrependeram
mudando de atitude e abandonando o pecado, e passando a honrar YÁOHUH UL e a reconhecer a sua
glória. 10O quinto anjo lançou a sua taça sobre o trono do monstro, e o seu reino cobriu-se de trevas. Os
que o serviam e lhe eram subordinados mordiam as línguas, enraivecidos e loucos de dor 11e também
clamavam maldições e palavras ofensivas contra YÁOHUH UL por causa do sofrimento e das chagas que
lhes apareciam; mas recusaram arrepender-se das suas obras más. 12A praga que o sexto anjo derramou
da sua taça caiu sobre o grande rio Eufrates, que secou inteiramente, de forma a permitir a invasão dos
chefes que vinham do Oriente 13Vi então três espíritos imundos, em forma de sapos, saltarem da boca do
dragão, do monstro e do seu falso profeta. 14São na verdade espíritos de demônios capazes de fazerem
coisas prodigiosas; e vão reunir os governantes de todo o mundo com vista a concentrarem as suas forças
para a batalha, no grande dia de YÁOHUH UL todo-poderoso. 15Diz YÁOHUH UL: "Atenção, eu hei de vir tão
inesperadamente como um ladrão! Feliz aquele que me espera, desperto e atento, que se mantém vestido,
que conserva o seu vestuário limpo e pronto, para que não tenha que vir a andar despido, com vergonha."
16Esses espíritos diabólicos juntaram todos os exércitos do mundo perto de um lugar que em Hebraico se
chama Armagedom. 17Por fim o sétimo anjo entornou por sua vez a sua taça sobre os ares; e do Templo
ouviu-se uma voz fortíssima, que vinha do trono, dizendo: "Está terminado!"E 18E houve relâmpagos e
trovões e um terremoto tal como nunca antes acontecera desde que o homem apareceu sobre a terra 19E a
grande cidade de Babilônia ficou como que fendida em três zonas, e todas as outras grandes cidades e
capitais ficaram em ruínas. YÁOHUH UL não se esqueceu, assim, da profunda maldade da grande Babilônia,
a qual teve de beber até à última gota o vinho da justa ira de YÁOHUH UL contra o seu pecado. 20Até as
ilhas desapareceram, e as montanhas se desfizeram, tornando-se planícies. 21Houve também uma
tremenda saraivada, com pedras caindo do céu com o peso aproximado de 45 quilos; e os homens, por
causa dessa extraordinária chuva, amaldiçoaram YÁOHUH UL.

K-hanódgaluth 17
A mulher sentada sobre o monstro

1Um dos sete anjos que tinha derramado as pragas sobre a terra dirigiu-se a mim e disse: "Vem comigo,
para que eu te mostre o que vai acontecer à grande prostituta, que está sentada sobre muitas águas. 2Os
governantes juntaram-se a ela violando a obediência e fidelidade que deviam a YÁOHUH UL, e os habitantes
da terra embriagaram-se com o vinh o da sua corrupção e imoralidade". 3O anjo levou-me em espírito a um
deserto. E vi uma mulher sentada num monstro vermelho, que tinha sete cabeças e dez chifres; e todo ele
estava coberto de insultos contra YÁOHUH UL./ 4A roupa que a mulher vestia era de púrpura e vermelha;
trazia jóias de ouro com pérolas e pedras preciosas. Segurava na mão uma taça de ouro cujo conteúdo, que
a enchia completamente, representava as obscenidades repugnantes da sua vida de imoralidade. 5Na testa
tinha uma inscrição cujo real significado ainda não foi revelado:"sA grande Babilónia, mãe de toda a espécie
de prostituição, a fonte de todo o tipo de sujidade sobre a terra" 6Constatei que a mulher estava
embriagada; mas era com o sangue dos santos e dos mártires de YAOHÚSHUA. Fiquei cheio de espanto e
maravilhado com o que via. 7Perguntou-me o anjo: "Porque estás assim tão admirado? Eu vou dizer-te o
que representa a mulher e o monstro em que ela está sentada o qual tem as sete cabeças e dez chifres
8Este monstro já não vive agora, mas há-de surgir de novo do abismo insondável para ir depois
definitivamente para a destruição eterna. E os habitantes da terra, cujos nomes não estão inscritos no livro
da vida, desde que o mundo foi criado, ficarão admirados de o ver reaparecer depois de ter estado morto.
9Para interpretar o sentido destas imagens é preciso inteligência e sabedoria: as sete cabeças são sete
colinas sobre as quais a mulher se estabeleceu. Mas também representam sete reis. 10Cinco deles já foram
derrubados, um existe atualmente e o último ainda está para vir, mas o seu reinado deverá ser curto. 11O
próprio monstro vermelho será ele também um oitavo rei que virá na seqüência dos outros sete e terá em si
características dos outros sete, e depois será destruído. 12Os seus dez chifres são dez reis que ainda não
subiram ao poder. Aliás não reinarão senão durante um espaço de tempo muito curto. 13E todos esses reis
assinarão um tratado com o monstro, entregando-lhe o poder e a autoridade que detêm. 14Farão juntos
guerra ao Cordeiro, que os vencerá, porque é Rei, acima de todos os reis, e YÁOHUH UL, dominando todos
os chefes entre os homens. Aqueles que lhe são fiéis, que foram chamados e escolhidos por ele, esses
participarão da sua vitória." 15 O anjo continuou a explicar-me: "Todos aqueles mares sobre os quais a
mulher está sentada representam multidões de povos de todas as nações e línguas. 16Mas o monstro
vermelho e os seus dez chifres que representam dez reis que reinarão com ele,todos eles têm ódio à
mulher. Vão atacá-la, tirar-lhe-ão as roupas que veste, comerão a sua carne e queimá-la-ão pelo fogo.
17Porque YÁOHUH UL pôs nas suas mentes a intenção de executarem precisamente o seu plano; e assim
concordarão todos em dar o seu poder ao monstro, isto até que se cumpra a palavra de YÁOHUH UL 18A
mulher que viste representa a grande cidade que tem sob o seu poder todos os governantes da terra."

K-hanódgaluth 18
A queda da Babilónia

1Depois de tudo isto vi um outro anjo descer do céu, e tinha uma grande autoridade, de tal maneira que
toda a terra ficou iluminada com o seu esplendor. 2E gritou com uma voz muito forte: "Caiu, caiu a grande
Babilónia! Ela tornou-se num refúgio de demónios e espíritos maus, um ninho de toda a ave imunda e
repugnante. 3Porque todas as nações beberam o vinho mortal das suas tremendas imoralidades. Os
governantes da terra tiveram com ela relações ilícitas; o comércio de todo o mundo tornou-se florescente só
à custa do luxo faustoso que nela havia." 4Então ouvi outra voz do céu que dizia: "Sai dela, meu povo, para
não tomares parte nos seus pecados e para não vires a ser castigado juntamente com ela com as mesmas
pragas 5Porque os seus pecados se têm acumulado até ao céu. YÁOHUH UL está pronto a julgá-la pelos
seus crimes. 6Tratem-na como ela vos tratou, e que o seu castigo seja duplicado em relação àquilo que
merecem os seus pecados. Na taça em que vos fez beber maldade e desgraça, que ela seja obrigada agora
a beber do mesmo duas vezes mais. 7Viveu no luxo e no prazer; que agora saiba, na mesma medida, o que
é o sofrimento e a tristeza. Gaba-se dizendo: 'Sou rainha no meu trono. Não sou como qualquer viúva
desamparada, e nem sequer saberei o que é o luto.'- 8Pois por isso mesmo é que num só dia tudo lhe cairá
em cima: a tristeza da morte, o choro, a fome; será destruída pelo fogo e reduzida a cinzas. Porque é
poderoso YÁOHUH UL o Criador Eterno que a julga." 9E os governantes deste mundo que se juntaram a ela
nas suas libertinagens imorais hão-de lamentá-la quando virem que dela só fica o fumo que sobe das suas
cinzas. 10Hão-de pôr-se de longe, com medo daquele grande tormento, e lamentar-se-ão: "Oy de Babilônia,
aquela poderosa cidade! Um momento bastou para que fosse executada a sua condenação." 11Os
comerciantes da terra chorarão e lamentar-se-ão por causa dela, pois que desapareceu aquele grande
mercado.( 12Ela lhes comprava grandes quantidades de ouro, prata, jóias com pedras preciosas e pérolas,
rico vestuário de linho fino e sedas de púrpura e escarlate; belas peças de imensas variedades de madeira
perfumada e de marfim; e tudo o que poderia fabricar-se, como utensílios ou objetos de ornamentação, nas
madeiras mais preciosas e em bronze, ferro e mármore 13e ainda requintadas especiarias e temperos,
produtos de beleza, perfumes, óleos e cremes; assim como vinhos, azeite, finas farinhas e também gado
variado, ovelhas e cavalos em abundância; e carruagens, escravos -e até almas de homens! 14"Todas as
coisas finas e extravagantes de que tanto gostavas desapareceram", choravam eles. "O luxo e a vida
faustosa nunca mais serão teus. Foram-se para sempre." 15Os comerciantes que se tinham enriquecido
com a venda de tudo aquilo ficarão à distância com medo daquele grande tormento, e chorando lamentar se-
ão: 16"Que desgraça! Aquela grande cidade, tão bela como uma mulher vestida da púrpura mais fina e
de fino linho escarlate, e com belas jóias de ouro, pérolas e pedras preciosas! 17Numa hora todas essas
riquezas se foram!"E todos os que navegam e trabalham no mar, comandantes e tripulações, se hão-de pôr
de longe, 18chorando enquanto contemplam o fumo a subir do incêndio, dizendo: "Que cidade haveria, no
mundo inteiro, semelhante a esta?" 19E na sua tristeza e desespero lançarão pó sobre as suas cabeças e
lamentar-se-ão: "Oy daquela enorme cidade! A sua prosperidade tinha-nos enriquecido a todos nós que
dependíamos do comércio nos mares, e agora num hora desapareceu!" 20Mas tu, ó céu, e vocês todos
filhos de YÁOHUH UL, os seus enviados e os que anunciam a sua palavra, alegrem-se, porque, ao condená-la,YÁOHUH UL fez-nos justiça e vingou-vos. 21E um anjo, de aspecto muito vigoroso, pegou numa pedra do
tamanho de uma grande mó, jogou-a ao mar e disse: "É assim que é lançada fora Babilônia, essa grande
cidade, de tal forma que nem sequer deixará vestígios! 22Nunca mais ali se ouvirá o som de música -nem
harpas, cânticos, flautas ou trombetas. Também se deixarão ali de ver, para sempre, operários seja de que
atividade for. Nunca mais se moerá farinha; 23nunca mais se acenderá uma luz; nunca mais ali se verá a
alegria de um casamento, e a felicidade de um casal de noivos! Os teus comerciantes tinham-se tornado
grandes chefes da terra. E o mundo inteiro se deixou enfeitiçar pelos teus atrativos. 24Foi também ali que
correu o sangue dos santos e dos enviados em Shúam (Nome) de YÁOHUH UL, mortos na terra!"
  
K-hanódgaluth 19
Cântico de vitória 

1A seguir ouvi no shuaolmayao o som de uma enorme multidão, gritando: "Haolul-YÁOHUH UL! Só nele há salvação! Pertencem-lhe, só a ele, toda a honra, todo o poder!-2Porque as suas sentenças são justas e conforme a verdade. Castigou essa grande prostituta que corrompia a terra com o seu pecado. E foi assim que lhe pediu conta do sangue daqueles que serviam YÁOHUH UL, e que foram assassinados no meio dela." 3E
repetiam sempre: "Louvado seja YÁOHUH UL! Para sempre há-de subir o fumo do seu incêndio!" 4Então os
vinte e quatro anciãos e os quatro seres viventes inclinaram-se até ao chão e adoraram YÁOHUH UL, que
estava sentado no trono, com estas palavras: "É essa a verdade! Louvado seja YÁOHUH UL!" 5Veio uma voz
do trono que dizia: "Louvem o nosso YÁOHUH UL, todos os que o servem e o temem, tanto grandes como
pequenos". 6E ouvi de novo um clamor enorme como o de uma multidão imensa, como o de muitas vagas
de um mar agitado ou como o de sucessivos trovões: "Haolul-YÁOHUH UL! Porque YÁOHUH UL, nosso
Criador Eterno, que tem todo o poder, é quem reina. 7Alegremo-nos, com intenso júbilo, prestemos-lhe a
nossa profunda homenagem. Chegou a altura de o Cordeiro receber a sua noiva, a qual já se aprontou.
8Ela tem o direito de se vestir do linho mais fino e mais branco. (Esse linho representa as obras justas e
boas que praticam os filhos de YÁOHUH UL.) 9E foi-me dito por um anjo que escrevesse o seguinte: "Bem aventurados aqueles que são convidados à celebração de casamento do Cordeiro". E mais ainda: "Foi
YÁOHUH UL mesmo quem declarou isto". 10Então lancei-me aos pés do anjo para o adorar, mas ele disse-
me: "Não! Não faças isso! Só YÁOHUH UL deves adorar! Eu estou ao serviço de YÁOHUH UL, tal como tu e
os teus irmãos, que são testemunhas de YAOHÚSHUA. Adora YÁOHUH UL. O motivo da profecia é para dar
um testemunho claro de YAOHÚSHUA."

O cavaleiro do cavalo branco

11Vi então o céu aberto e aparecer um cavalo branco montado por alguém que se chamava Fiel e
Verdadeiro -aquele que julga e combate com justiça 12Os seus olhos eram como labaredas, e na cabeça
tinha muitas coroas. E tinha um nome escrito nela de que só ele sabia o significado 13A roupa que vestia
tinha marcas de sangue; o seu (Nome) Shúam é a Palavra de YÁOHUH UL. 14Os exércitos do céu, vestidos
de linho fino, do mais branco e puro, seguiam-no em cavalos igualmente brancos. 15Na sua boca segurava
uma espada afiada para com ela vencer as nações. Ele há-de governá-las com uma autoridade forte, firme;
será ele próprio quem há-de pisar no lagar de YÁOHUH UL todo-poderoso o vinho da sua justa cólera contra
o pecado 16No manto que trazia, e abaixo da cintura, tinha escrito este título: Molkhiúl dos reis e Ódmorul
dos chefes. 17Vi então um anjo recebendo em cheio a luz que vinha do sol e que bradava em alta voz a
todas as aves de rapina que cruzam os ares: "Venham! Juntem-se para comer aquilo que o grande YÁOHU
UL vos dá, 18a carne dos que governam, e a carne dos reis, generais e dos grandes guerreiros, tal como a
carne dos cavalos e a dos que, na guerra, os montavam, e enfim a carne de todos, patrões e empregados,
grandes e pequenos." 19Depois vi o monstro reunindo os governantes da terra e os seus exércitos para
lutarem contra aquele que está montado no cavalo e contra o seu exército 20E o monstro foi feito
prisioneiro, e com ele o falso profeta -aquele que tinha podido fazer extraordinários milagres na presença
do monstro, e com os quais enganava os que precisamente tinham aceitado serem marcados com o sinal
dela e adoravam a sua estátua. Ambos foram jogados vivos no lago de fogo que queima com enxofre
ardente. 21E todos os soldados daqueles exércitos foram mortos com a espada afiada que estava na boca
do que montava o cavalo, e todas as aves de rapina se fartaram com aquela carne humana.

K-hanódgaluth 20
Os mil anos

1Vi nessa altura descer do céu um anjo com a chave do abismo e uma pesada corrente na mão. 2E
prendeu o dragão -a velha serpente, o diabo, ha-satán -e o amarrou durante mil anos, 3e o lançou para
dentro do abismo, que fechou e selou por fora; de modo que não podia mais enganar as nações antes de os
mil anos terem terminado. Depois disso deverá ser solto por algum tempo ainda. 4E vi tronos, onde estavam
sentados os que receberam o direito de julgar. Vi também as almas daqueles que foram degolados por
causa do testemunho que deram de YAOHÚSHUA, e da palavra de YÁOHUH UL; estes não adoraram o
monstro, nem a sua estátua, nem aceitaram a sua marca nas testas ou na mão. Voltaram de novo a viver, e
durante aqueles mil anos partilharam com hol-MEHUSHKHÁY da sua própria autoridade e do seu governo.
5Esta é a primeira ressurreição. (O restante dos mortos não voltou à vida enquanto os mil anos não
acabaram.) 6Abençoados aqueles que tomam parte na primeira ressurreição esses são os santos, que
não terão que recear a segunda morte. Serão cohaním (intermediários) de YÁOHUH UL e participarão no
governo de hol-MEHUSHKHÁY, que durará mil anos.

A condenação de ha-satán

7E quando esses mil anos terminarem ha-satán será solto da sua prisão. 8E irá seduzir todas as nações do
mundo, Gog e Magog. Ele irá reunir as nações para a batalha - uma multidão incontável, tal como a areia do
mar! 9E percorrerão toda a face da terra e cercarão o povo de YÁOHUH UL e Yaohúshua-oléym, a sua tão
querida cidade. Mas virá fogo do céu sobre esses exércitos atacantes que os consumirá. 10Então ha-satán,
que os enganou, será lançado no lago de fogo, ardendo com enxofre, e onde já estão o monstro e o falso
profeta. E ali serão atormentados dia e noite, por toda a eternidade!

Os mortos são julgados

11E vi um grande trono branco; nele estava sentado alguém diante do qual a terra e o céu fugiram; e nem
deixaram vestígios. 12Os mortos compareceram todos diante do trono, grandes e pequenos. E abriram-se
os livros, incluindo também o livro da vida. Os mortos foram julgados de acordo com as coisas que estavam
escritas nesses livros, cada um segundo as suas obras. 13Os sepulcros tinham-se aberto. Até o mar
devolvera os que nele tinham morrido. Todo o domínio dos mortos se despovoou. E cada um foi julgado
conforme os seus atos. 14A própria morte e o sepulcro foram igualmente lançados no lago de fogo, que é a
segunda morte. 15Todos aqueles cujos nomes não foram achados no livro da vida foram jogados para o
lago de fogo.

K-hanódgaluth 21
A Nova Yaohúshua-oléym

1Então vi um novo céu e uma nova terra porque o velho céu e a velha terra tinham desaparecido, e o mar
também já não existe. 2E depois vi, eu próprio, a cidade santa, a nova Yaohúshua-oléym, que descia do
céu, de junto de YÁOHUH UL, esplendidamente bela, como uma noiva no dia do casamento. 3E ouvi uma
voz muito forte, que vinha do trono, dizendo: "Eis que a morada de YÁOHUH UL é agora entre o seu povo!
Ele habitará com eles e eles serão o seu povo. YÁOHUH UL mesmo estará com eles. 4Limpará de seus
olhos toda a lágrima e não haverá mais morte; nem haverá tristeza, nem choro nem dor. Tudo isto pertence,
para sempre, ao passado." 5E o que estava sentado sobre o trono disse: "Estou a fazer tudo de novo!" E
dirigindo-se a mim acrescentou: "Escreve o que te vou dizer, porque são palavras verdadeiras e dignas de
toda a confiança". 6E depois disse assim: "Está tudo cumprido! Eu sou o Álef e o Tav -a origem e o fim.
Àquele que tem sede, darei o privilégio  de beber,sem pagar  da fonte da água da vida!d 7O que vencer receberá o benefício de todas estas coisas. E eu serei o seu YÁOHUH UL e ele será meu filho.-8Mas quanto aos
cobardes e aos incrédulos, quanto aos corruptos e aos assassinos, aos que praticam a imoralidade, aos que
se entregam a bruxarias, aos que se dão à idolatria, e a todos os que falam mentira, o seu destino será o
lago que arde com fogo e enxofre. Isso é a segunda morte." 9Então um dos sete anjos que tinham
derramado as taças que continham as sete últimas pragas dirigiu-se a mim e disse: "Vem comigo para que
te mostre a noiva, a esposa do Cordeiro". 10E levou-me em espírito a uma montanha muito alta. De lá vi
aquela magnífica cidade, a santa Yaohúshua-oléym. E vinha descendo do céu, de junto de YÁOHUH UL,
11com a glória de YÁOHUH UL; cintilava com o fulgor de uma pedra muito preciosa de jaspe, transparente
como o mais puro cristal 12Tinha muralhas largas e altas, e doze entradas guardadas por doze anjos. 13E
em cada porta de entrada estava escrito o nome de uma das doze tribos de Yaoshorúl. E em cada um dos
lados da cidade havia três portas, a norte, a sul, a leste e a oeste. 14As suas muralhas repousavam sobre
doze alicerces, nas quais estavam escritos os nomes dos doze emissários do Cordeiro. 15O anjo que falava
comigo tinha na mão uma vara de ouro e com ela mediu a cidade, a muralha e as portas. 16E como era um
quadrado, tinha todos os seus lados de igual medida; aliás, tinha de fato a forma de um cubo, porque o seu
comprimento e largura e altura eram os mesmos: 2.220 quilômetros.-17Mediu também a espessura das
muralhas, que era de 65 metros. O anjo utilizou as medidas vulgares usadas entre os homens. 18A própria
cidade era de ouro puro, e transparente como o vidro mais cristalino! 19As muralhas eram de jaspe e os
fundamentos sobre que assentavam estavam incrustados de pedras preciosas, cada um com a sua
qualidade de pedra: o primeiro era de jaspe, o segundo de safira, o terceiro de calcedônia, o quarto de
esmeralda, 20o quinto de sardônica, o sexto de sárdio, o sétimo de crisólito, o oitavo de berilo, o nono de
topázio, o décimo de crisópraso, o décimo primeiro de jacinto e o décimo segundo de ametista. 21E as doze
portas eram feitas de pérolas; cada porta era de uma só pérola! A praça principal da cidade era toda ela de
ouro puro, cintilante como vidro de cristal. 22Não vi nela Templo nenhum, porque YÁOHUH UL o Criador
Eterno todo-poderoso e o Cordeiro, sempre ali presentes, é que são o seu Templo. 23A cidade não precisa
nem de sol nem de lua, porque a glória de YÁOHUH UL a ilumina -o Cordeiro é a sua luz. 24Essa luz da
cidade iluminará as nações da terra, e os governantes virão entregar-lhe as suas honrarias. 25As portas
nunca se fecharão, até porque lá nunca haverá noite! 26E tudo o que faz a glória e a honra das nações será
trazido ali. 27Nada de impuro entrará nela; ninguém que cometa o mal e sirva a mentira será admitido. Só
terão acesso a ela aqueles cujos nomes estão escritos no livro da vida do Cordeiro.

K-hanódgaluth 22
O Livro da Vida
  
1E finalmente o anjo mostrou-me o rio da água da vida, limpa e cristalina, que vinha do trono de YÁOHUH UL
e do Cordeiro, 2e que fluía pelo meio da rua principal da cidade. De cada lado do rio crescia a árvore da
vida, que produz doze variedades de frutos, um em cada mês do ano; as suas folhas são utilizadas para
curar as nações. 3Ali não haverá mais maldição porque o trono de YÁOHUH UL e o do Cordeiro ali estarão.
Os seus servos o adorarão, 4e verão diretamente o seu rosto. Terão gravado nas testas o Shúam (Nome)
de YÁOHUH UL." 5Ali nunca mais haverá noite; e assim não serão precisos candeeiros. E tão-pouco o sol é
necessário, porque YÁOHUH UL o Criador Eterno é a sua luz. E eles reinarão com o seu YÁOHUH UL, para
sempre. 6O anjo disse-me: "Estas palavras são inteiramente dignas de confiança e verdadeiras. YÁOHU
UL, Criador Eterno, que inspirou os homens santos que falaram em Seu (Nome) Shúam, foi quem enviou
agora o seu anjo para mostrar, a todos aqueles que põem as suas vidas ao seu serviço, as coisas que hão-
de acontecer brevemente."

Molkhiúl YAOHÚSHUA vem!

7"Atenção, porque o meu regresso está próximo! Feliz é aquele que guarda no coração as palavras deste
livro." 8Eu, YÁOHU-khánam, sou aquele que vi e ouvi todas estas coisas. E quando as vi e ouvi, lancei-me
por terra para adorar o anjo que me tinha mostrado tudo aquilo. 9Mas ele impediu-me: "Não, não faças tal
coisa! Porque eu sou teu companheiro de serviço, assim como dos teus irmãos, os que pregam em Shúam
(Nome) de YÁOHUH UL, e de todos os que aceitam o que está revelado neste livro. Só YÁOHUH UL deves
adorar. 10Não mantenhas em segredo as revelações que acabaste de pôr por escrito", mandou-me ele.
"Porque já está próximo o tempo em que elas se vão cumprir. 11Quem pratica o pecado que continue a
praticá-lo. Quem é mau que continue a sê-lo. Quem é justo continue a ser justo. Quem é santo que se torne
ainda mais santo." 12"Eu virei em breve, trazendo a recompensa que cada um merece de acordo com as
suas obras 13Eu sou o Álef e o Tav, o primeiro e o último, a origem e o fim de tudo." 14Bem-aventurados
os que guardam e obedecem a seus mandamentos, para que tenham direito de entrar na cidade pelas portas e de comer do fruto da árvore da vida. 15Mas ficarão de fora os cães (os impuros e inimigos de YÁOHUH UL),
assim como os que se dedicam à feitiçaria e ao ocultismo, e os que praticam imoralidade sexual, e os
assassinos, e os que praticam idolatria, e todos os que mentem e amam a mentira. 16"Eu, YAOHÚSHUA,
enviei o Meu anjo para vos revelar todas estas coisas, destinadas às Oholyáos. Eu constituo a própria raiz e
o descendente de Dáoud! Eu sou a radiosa 'cocávin' (est-ela) da manhã!" 17O RÚKHA hol-HODSHÚA e a
esposa dizem: "Vem!" E quem ouvir este apelo diga também: "Vem!" Quem tem sede, que se aproxime; que
todo aquele que quiser bebas sem pagar da água da vida. 18Eu declaro solenemente a todo aquele que ouvir
as palavras deste livro que, se alguém lhes acrescentar alguma coisa, YÁOHUH UL o castigará com as
pragas que nele estão escritas 19E se alguém tirar, seja o que for, às palavras proféticas deste livro,
YÁOHUH UL lhe retirará a sua participação na árvore da vida, e na cidade santa, que estão descritas neste
livro. 20Aquele que revelou estas coisas afirma: "Sim, em breve voltarei!"Que assim seja! Pois vem,
Molkhiúl YAOHÚSHUA! 21Que YAOHÚSHUA hol-MEHUSHKHÁY ha-Molkhiúl (o Rei supremo), vos conceda a todos SEU FAVOR IMERECIDO. Amnáo.




19 comentários:

  1. Caros amigos e irmãos em Yaohushua, muito nobre esse trabalho que estão fazendo! No entanto tenho duas críticas afazer: Em primeiro lugar a de que "acho que o que deveria ser modificado nestes textos deveria ser somente os nomes próprios que foram blasfemados, deixando outras palavras em português mesmo, exemplo, sangue, igreja,amém, filho etc" Em segundo lugar "deveriam informar qual a versão da bíblia que usaram para a correção dos nomes". Que a graça e a paz de Yáohu e de seu filho Yaohushua seja com todos.Amém

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pesquise a palavra amém , substitua por ( Amnao - assim seja ) .

      Excluir
    2. Gostei. Concordo contigo. Acho importante essa observação. Também gostaria de saber de onde tiraram essa Escritura em Hebraico trazida para o português. Quem não gostaria de tê-la.

      Excluir
  2. CADA PALAVRA COLOCADA TEM SEU SENTIDO NO ORIGINAL EX:
    IGREJA =LEVADOS PARA FORA, OLHOLYAO=TENDA DO ETERNO

    AMEM=ÍDOLO EGIPICIO(AMÉN RA),AMNÁO=ASSIM SEJA

    ResponderExcluir
  3. as escrituras estão sendo reveladas, graças ao Eterno Yaohu ul

    ResponderExcluir
  4. O que leva vcs a cre que isto esta correto

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. PESQUISAS, MUTOS ANOS DE ESTUDO

      Excluir
    2. Vou responder somente com um pequeno comentário. Nomes próprios não se traduzem. Paulo é Paulo em qualquer lugar do mundo. Meu neto nasceu na Bélgica e lá ele foi registrado como lucca, por não se usa o usa. Aqui teve que fazer um registro de cidadão brasileiro. Foi registrado como Lucca. Não pode colocar o S. Espero que tenha entendido.

      Excluir
  5. Se essa for a verdade vcs podem faser com que eu entenda ?,grato

    ResponderExcluir
  6. pra entender as escrituras é preciso receber um dom e estudar ela por inteiro, pq principalmente esse livro é cheio de símbolos, e esses simbolos estão em outros livros das escrituras. mas se tiver diuvidas pergunte com mais definição do assunto, que tentaremos responder.fica na paz

    ResponderExcluir
  7. Em qual grupo fazer parte? onde comprar um exemplar das sagradas escrituras?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. HOJE É MUITO DIFÍCIL TER AS ESCRITURAS PURAS, EU ESTOU FAZENDO O MÁXIMO QUE POSSO PRA AJUDAR OS IRMÃOS. ACONSELHO TIRAR CÓPIA DO QUE ESTÁ AQUI DO QUE PAGAR

      Excluir
    2. http://www.facebook.com/groups/ACORDADOSPARASOBREVIVER/

      Excluir
  8. Irmãos, só tenho a agradecer. A paz de Yaohushua eterrno

    ResponderExcluir
  9. OHOL YAOHUSHUA / P.O. BOX 1482 - JERUSALEM, ISRAEL 91014 -

    ResponderExcluir
  10. UH UH CONSEGUIR O QUE BUSCARA, PRIMEIRAMENTE DA GRAÇAS AO YAOHUH UL E BENDITO SEJA O TEU NOME E EM NOME DO MESSIAS YAOHUSHUA NOME SOBRE TODO NOME, POR TER ACHADO AS SAGRADAS ESCRITURAS, EH MUITO BOM RECEBER O VERDADEIRO EVANGELHO, GRATO A VCS TAMBEM QUE NAO CANSEMOS DE FAZER O BEM, IRMAO,

    PAZ DE YAOHUSHUA!

    ResponderExcluir
  11. eu compraria uma biblia assim e leria com muito prazer

    ResponderExcluir
  12. Hoje dou HODAYAO A YAOHU ULHIM
    POR YAOHUSHUA O VERDADEIRO MESSIAS E SAÚDO TODOS OS QUE CREEM
    SHUAOLEIM ANADOS

    ResponderExcluir